academia apostas

academia apostas – cxne39.com Atualizado diariamente com notícias brasileiras, notícias esportivas, informações sobre cassinos, jogos de azar e dicas para ganhar dinheiro

apostas

Há quase uma década ele joga garrafas plásticas com arroz no mar e recebe apoio total para isso

Leia também:Morreram na hora H? Dinossauros copulando se tornam atração de museu jurássico

da vai da bet: Quando se fala em jogar plástico na natureza, é claro que nossa primeira impressão é negativa. Quando se trata do mar, isso piora muito, pois animais morrem constantemente por conta do lixo humano. No entanto, este homem faz isso em um ato altruísta e de solidariedade há quase 15 anos e recebe muito apoio.

da Brasileirão Série C

Relacionado”Não peguem leve comigo”: Neuralink acaba de lançar o jogo usado para testar sua interface experimental ‘cérebro-computador’Jogar garrafas de plástico no mar?

Estamos falando de Park Jung-oh, um cidadão da Coreia do Sul. Ele joga garrafas plásticas com arroz e outros objetos desde 2015 no mar. Inclusive, criou uma instituição com sua esposa, chamada Kuen Saem.

Como se não bastasse, recebe apoio da população de modo geral, muitos voluntários, pescadores e até mesmo do Instituto Coreano de Ciência e Tecnologia Oceânica. “Eles me aconselharam a verificar cuidadosamente esses três fatores: data, hora e direção da maré”, disse ao Korea Times.

E a poluição? Está jogando lixo no mar? Como ficam os peixes? Talvez você esteja se perguntando acima de tudo qual o motivo disso e a resposta consiste em um altruísmo surpreendente.

Por que ele joga garrafas no mar?

A resposta é simples: ele espera que elas alcancem a Coreia do Norte. Ele sabe da situação difícil do país e quer auxiliar seus cidadãos a terem algum acesso a comida e outros recursos. Segundo a CNN a Coreia do Norte enfrenta a pior crise alimentar desde 1990.

Junto do arroz, ele também coloca pendrives com novelas, músicas, conteúdo artístico da Coreia do Sul e de outras partes do mundo. Além disso, também envia medicamentos. Informações sobre a situação atual do mundo também são compartilhadas.

“O meu desejo é que os encontrem e percebam que foram enganados pelo seu regime”, confessa ao Korea Times. Ele também acrescenta aparelhos eletrônicos, para que eles possam ter algum contato com o mundo exterior e notas de dólar para que possam trocar por recursos em seu próprio país.

Hoje Park Jung-oh tem 60 anos, mas ele é um fugitivo da Coreia do Norte e afirma saber bem a realidade do país e passou por momentos difíceis há 26 anos, quando resolveu deixar o regime.

Ele afirma saber que nem sempre as garrafas chegarão ao destino e, por isso, busca se informar sobre os ventos e marés. Além disso, ele já recebeu mensagens de outros norte-coreanos que chegaram até a Coreia do Sul, incluindo famílias inteiras. Então ele tem certeza de que seu trabalho está rendendo e, por isso, recebe muito apoio e garante que não vai desistir.


Leia também:China acaba de decifrar um dos maiores mistérios da física da Via Láctea: a origem dos corpos magnéticos